Gestão

Bianchini S.A. reduz mais de 1 milhão em custos com estadia

marketing
Escrito por marketing em 5 de fevereiro de 2020
Bianchini S.A. reduz mais de 1 milhão em custos com estadia
Junte-se a mais de 5000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Bianchini S.A. é uma empresa familiar, de capital fechado 100% nacional, situada no Estado do Rio Grande do Sul.

Sediada na cidade de Porto Alegre, suas duas fábricas, estão localizadas nas cidades de Canoas e Rio Grande.

Juntas, as duas fábricas têm capacidade de processar 1,5 milhão de toneladas de soja por ano.

Atuando há 58 anos com a cultura da soja, atua no ramo industrial de extração de óleos vegetais e produção de farelos, a partir do processamento da soja.

Também prestam serviços de beneficiamento de grãos, de logística e armazenagem, além de embarques portuários de granéis líquidos e sólidos.

Anualmente, a Bianchini S.A. comercializa 2,5 milhões de toneladas (o equivalente a 14% da safra gaúcha e 2% da brasileira)

Setenta (70%) de tudo o que é processado chega nas fábricas é por  modal rodoviário, cerca de 750 caminhões por dia nos picos da safra.

O destino da produção é principalmente exportação, e os principais mercados importadores, são países da Europa e Ásia.

Como eram as operações antes do Carga Pontual?

O desafio principal era gerenciar e organizar o grande volume de fluxo de veículos para descarga no porto Rio Grande.

Como resultado, principalmente nos picos de safra existia uma dificuldade em conseguir organizar o fluxo de chegada desses veículos.

Ou seja, devido a este fluxo existiam situações de acúmulo de veículos na planta e nos acostamentos das rodovias para acesso da planta.

Como resultado, a ausência do gerenciamento logístico adequado deixava a empresa refém do ritmo dos fornecedores e parceiros.

Certamente este ritmo era muito maior que a capacidade de recebimento diário da planta e ocasionava diversos problemas, com:

Espaço: pouco espaço para receber veículos;

Tempo: espera para descarga dos veículos acima do permitido pela lei;

Financeiro: pagamentos de estadia, multas contratuais e também multas aplicadas pela PRF;

Sobrecarga: sobrecarga sobre os colaboradores e também da capacidade produtiva da unidade;

Insatisfação: Tanto dos motoristas pelo tempo de espera, dos parceiros e também dos funcionários por conta da operação ineficiente;

Como resultado, o prejuízo acumulado anualmente era superior a R$ 1 milhão de reais.

Quais as principais mudanças o Carga Pontual gerou na Bianchini S.A.?

Para resolver esses problemas, a Bianchini S.A. contratou a Accellog Global Technology, que à época ainda estava sob o nome STRADA Soluções.

Através da implantação de um software de agendamento de descargas, que integra fornecedores, transportadores e clientes em um único ambiente a operação passou por uma grande mudança nos resultados.

Com o Carga Pontual, foi possível controlar o fluxo de veículos , eliminar as filas e reduzir custos com estadias de transporte e armazenamentos externos.

Segundo Leslie da Silva Fonseca, analista administrativo da Bianchini S.A.:

“uma das melhores características do programa é a Carta de Agendamento, um documento que mostra quando a carga foi encomendada e quando deve chegar à planta, isentando a empresa de problemas com atrasos, caminhões parados na rodovia e multas por parte da Polícia Rodoviária, já que muitos caminhões formavam filas nas pistas”.

“Já estamos estudando a implementação do Carga Pontual em outras plantas, como a de Canoas, também no Rio Grande do Sul”,

Para a CEO da Accellog, Rafaela Campos, o propósito da empresa é acelerar os processos logísticos do mundo.

“Ver como a Bianchini se beneficiou de nossa solução tecnológica para gestão logística com eficiência e economia em torno de R$ 1 milhão, mostra que estamos no caminho certo. Queremos despertar o potencial competitivo na logística em parceria com empresas de todo o país”

Quer saber mais sobre o Carga Pontual? Clique no botão abaixo:

conheca-o-carga-pontual

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *